1921, Sobre o Plano Económico Único

«Já se notou desde há muito que os defeitos das pessoas estão relacionados, na maior parte dos casos, com a as suas qualidades. Tais são os defeitos de muitos dirigentes comunistas. Durante dezenas de anos realizámos uma grande obra, pregámos o derrubamento da burguesia, ensinámos a desconfiar dos especialistas burgueses, desmascarámo-los, retirámos-lhes o poder, reprimimos a sua resistência. Esta é uma grande obra, de importância histórica universal. Mas basta exagerar um pouco e confirma-se a verdade de que do grande ao ridículo não há mais que um passo. Nós convencemos a Rússia, conquistámos a Rússia aos exploradores para os trabalhadores, reprimimos os exploradores, devemos aprender a administrar a Rússia. Para isso devemos aprender a ser modestos e a respeitar o trabalho concreto dos «especialistas da ciência e da técnica», para isso devemos aprender a analisar concreta e atentamente os nossos numerosos erros práticos e a corrigilos gradual mas firmemente. Menos presunção intelectual e burocrática, mais estudo daquilo que a experiência prática nos proporciona no centro e a nível local e daquilo que a ciência nos proporcionou já.»

Ler Texto em PDF

PARTILHAR