Visita da CDU ao Bairro da Ribeirada já teve consequências

Foi preciso a CDU visitar o Bairro da Ribeirada para que o PS na Câmara Municipal, Junta de Freguesia e o promotor imobiliário fizessem o que já deviam ter feito.

Moradores da Ribeirada têm razão!

 
Uma teia de cumplicidades envolvendo o promotor imobiliário, a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Odivelas estão na origem do estado de abandono a que estão votadas as zonas envolventes à Urbanização da Ribeirada (fase 2). Na visita efectuada a esta urbanização, os eleitos pela CDU na Assembleia de Freguesia, na Câmara e na Assembleia Municipal constataram, no local e junto dos moradores, as razões da indignação. Negligência, desleixo e incompetência são as marcas do PS neste bairro da Freguesia de Odivelas.

Há mais de cinco anos que a Urbanização da Ribeirada começou a receber os seus primeiros moradores.

 
Os moradores sabem quais as zonas verdes e equipamentos a instalar no interior e na envolvente à urbanização, mas até hoje nem um centímetro quadrado de terra viram ser mexido.
 
Era suposto o construtor, passados todos estes anos, ter já feito os arranjos dos espaços exteriores, da sua responsabilidade. Era suposto a Câmara Municipal ter já exigido do construtor a imediata execução dessas obras e seria também suposto que a Junta de Freguesia não permitisse que o espaço público onde habitam mais de 300 famílias permaneça assim, deixado ao abandono, sem qualquer tipo de arranjo ou manutenção.
 
É curioso que após a visita da CDU se tenha começado a ver movimentos de máquinas no bairro e até a Junta de Freguesia marcou uma reunião com os moradores.
 
– Oh Srª Presidente, se é necessário ao seu executivo, para mostrar mais respeito pelos moradores, a CDU fazer visitas aos bairros fique descansada que até final do seu mandato vai ter muitas reuniões para fazer, porque nós, tal como sempre fizemos, vamos continuar nos bairros e nas ruas a falar com as pessoas. Aliás se quiser marcar na sua agenda, este fim-de-semana já temos mais dois encontros marcados.
 
Ao contrário das prometidas zonas verdes, dos equipamentos públicos e de um bairro bonito, o que os moradores encontram à sua porta são passeios, por onde não se passa, infestados de mato, parques de estacionamento improvisados e apinhados de viaturas municipais, vazadouros de entulho junto ao matagal do topo norte da urbanização, abrigo de ratazanas e parasitas.
 
Por aqui há muito não passa quem na Junta de Freguesia de Odivelas se ocupe da limpeza urbana.
 
Com este comportamento negligente, ganha o construtor, que ao não assumir as suas responsabilidades, dilata o prazo para a execução dos trabalhos e o respectivo custo. Com esta atitude de deixa andar, ganha também o PS local e a Presidente da Câmara, em guerra aberta com a Presidente da Junta.
 
Com o seu (in) conveniente silêncio ganha também a Junta de Freguesia que mantém a sua presidente na guest list do construtor, o mesmo que viu recentemente o seu nome ser atribuído a uma rotunda da Cidade, tínhamos razão quando sugerimos a esta assembleia que não trouxesse para aprovação uma proposta de toponímia que eleva a figura de construtores civis cujo comportamento, neste caso não abona a favor da cidade.
 
Nesta teia de cumplicidades todos ganham, excepto os moradores, o Concelho e a Cidade de Odivelas.
 
A CDU exigiu já em sessão de Câmara a urgente resolução de todas as questões apresentadas pelos moradores da Urbanização da Ribeirada. Exigimos deste executivo que assuma as suas responsabilidades e neste caso não basta sacudir a água do capote, no estado a que esta urbanização chegou a responsabilidade não é só da Câmara Municipal.

Também estivemos no Chapim

 
Bairro do Chapim é sem dúvida dos bairros mais aprazíveis da freguesia de Odivelas, com enorme potencial para evoluir ao nível da colocação de equipamentos públicos e criação de zonas de lazer e descompressão. A sua proximidade com os bairros da Ribeirada e Quinta Nova integram-no num núcleo habitacional concreto e bem definido que tem necessariamente de ser pensado no seu conjunto.
 
Ao invés da desejada evolução e melhoria qualitativa enquanto núcleo urbano, este conjunto de bairros, em particular o do Chapim, tem visto goradas as expectativas que seu o potencial desperta.
 
Câmara PS. Política do Estado Mínimo
 
Quanto menos se intervier, menos se gasta. Uma ou outra rotunda de fachada, uma vez por mês lá cortam a relva, mas o essencial fica por fazer.
 
E ficam por fazer as escolas, básica e secundária, há muito previstas para terrenos públicos disponíveis na Ribeirada. E vai ficar por fazer o famoso Centro Administrativo, num terreno com cerca de 10ha, também propriedade municipal, transformado num imenso matagal de infestantes, parasitas e ratazanas.
 
Não deixa de ser curioso que estando o gabinete do vereador do PSD, responsável pelo ambiente, situado mesmo no centro do Chapim, e a quem este ano foi dado um chorudo orçamento, não tenha havido ao longo do mandato qualquer intervenção naquele espaço. È caso para dizer: Muito perto, mas pouco competente.
 
Em nossa opinião, mesmo com carácter provisório, é possível e desejável a limpeza, nivelamento e embelezamento do referido terreno e a sua adequação a espaços de jogos informais, zonas pedonais e zonas de estadia. Estas são propostas já por diversas vezes apresentadas pelos representantes da CDU, nos diversos órgãos autárquicos onde estamos eleitos, mas que tanto PS como PSD faz orelhas moucas. Tal como fizeram na Assembleia da República aquando das propostas apresentadas, pelos deputados do PCP, de construção dos novos Centros de Saúde para o Concelho de Odivelas.
 
Para a Junta de Freguesia, o Bairro do Chapim parece só ter uma rua: a principal. No interior do bairro e nas ruas que o ligam à Quinta Nova, as mais recônditas, sucedem-se os passeios com infestantes e amontoados de lixo junto às árvores, onde deveriam estar colocados equipamentos para os nossos idosos passarem as tardes com os seus netos.
 
Ao longo da visita, os eleitos da CDU puderam também constatar a degradação do pavimento nas zonas de estacionamento, a precisarem duma intervenção séria e não dos remendos, que não duram um inverno, a que o PS na Junta de Freguesia já nos habituou.

Também estivemos no Pomarinho,

 
Mas de lá dizem-nos que não conhecem qualquer iniciativa nem da Câmara Municipal, nem da Junta de Freguesia.
 
A única coisa que sabem é que lhes retiraram as camionetas e que o bairro está sujo e muito descuidado.
 
Talvez pela rua ser muito íngreme é raro ver-se ali passar qualquer equipamento de limpeza urbana da Junta de Freguesia.
 
È provável que lá mais para a frente, daqui a um ano talvez, vejamos este executivo com a mão no coração a falar de amor por Odivelas. Quem ama não trata mal.
 
È que no Pomarinho os equipamentos continuam ao abandono, como aliás já aqui denunciámos quando no ano passado visitámos aquele bairro.
 
Senhora Presidente, sugerimos que marque também uma reunião para lá, mas prepare-se, que os moradores do bairro já conhecem “de ginjeira” o discurso de quem muito promete e nada faz.
 
Exigimos respeito pela população de Odivelas, consideramos lamentável que tendo este executivo um mandato do povo para cumprir, o maior orçamento de todas as juntas de freguesia do concelho, trate tão mal esta cidade.

Odivelas, 30 de Junho de 2008

 
Os eleitos da CDU na Assembleia de Freguesia de Odivelas

PARTILHAR