Luta na Pereira da Costa prossegue

Já passaram quatro meses desde que estes trabalhadores foram despedidos arbitrariamente pela direcção da empresa de construções Pereira da Costa. Estes homens ainda não receberam os seus ordenados e estão proibídos de entrar nas instalações.
Por isso continuam em luta e em vigília em frente à empresa. A semana passada, vários seguranças privados ao serviço da direcção estiveram presentes tentando forçar os portões de modo a deixarem sair vários carros com material e maquinas de trabalho.
Os trabalhadores viram-se obrigados a chamar as autoridades devido ao porte de armas de fogo por parte dos seguranças.
Graças à determinação destes trabalhadores, as intenções do patronato de destruir esta empresa foram mais uma vez derrotadas.
O PCP, diariamente, acompanha solidariamente luta dos trabalhadores da Empresa.

 

 

PARTILHAR