Reunião da DORL de 30.04.2015

A Direcção da Organização Regional de Lisboa do PCP reuniu a 30 de Abril. Procedeu ao balanço da VIII Assembleia da Organização Regional, recentemente realizada, elegeu os seus organismos executivos, analisou a situação política e social e apontou as principais tarefas dos comunistas no distrito de Lisboa.

 

1. A VIII Assembleia da ORL do PCP, concretizada num período de grande exigência, pelo conteúdo de discussão, pela combatividade demonstrada e pelas conclusões, confirmou o PCP como um partido com grande ligação às massas no distrito de Lisboa, conhecedor dos problemas e aspirações dos trabalhadores e do povo e por estes respeitado e querido. A Assembleia definiu como objectivos centrais o reforço do PCP, designadamente com o recrutamento de 1000 novos militantes a organizar nas empresas e locais de trabalho nos próximos quatro anos, a sua ligação às massas e a intensificação da luta visando a derrota da política de direita e a construção de uma alternativa Política Patriótica e de Esquerda. A Direcção Regional do PCP elegeu os seus organismos executivos – Comissão Distrital, Executivo e Secretariado – e aprovou as respectivas competências por unanimidade.

2. A situação política, económica e social existente no distrito caracteriza-se por dois traços principais. Por um lado, a forte ofensiva do Governo PSD/CDS-PP e do patronato com consequências graves na vida dos trabalhadores e do povo, o ataque aos direitos nas empresas e locais de trabalho, a pressão sobre os trabalhadores, a imposição da desregulamentação dos horários de trabalho, os cortes e desvalorizações salariais, a destruição de serviços públicos e a desarticulação das funções sociais do Estado. Por outro lado, uma forte e intensa resposta dos trabalhadores, dos jovens, dos reformados e pensionista e de vastas camadas da população. A DORL do PCP saúda e valoriza a luta dos trabalhadores do sector dos transportes no Metropolitano de Lisboa, na Carris, na CP, na CP Carga, na EMEF, na Refer, na Scotturb e na Portway, da administração local, dos museus, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, da Manutenção Militar, da Axa Seguros, da Sotancro e da Panrico. Saúda a luta dos reformados e pensionistas e solidariza-se com as acções recentes das populações de Santa Iria, Parede, Alhandra, S. João dos Montes e Sobralinho em defesa dos serviços públicos e dos estudantes do ensino secundário em diversas escolas do distrito. A DORL do PCP saúda especialmente os participantes no desfile popular do 25 de Abril na Avenida da Liberdade e na Manifestação do 1o de Maio da CGTP-IN. A DORL denuncia a vergonhosa campanha que, a pretexto da greve dos Pilotos da TAP e recorrendo à mentira e à deturpação, o Governo e a Administração desenvolvem visando dividir os trabalhadores, justificar a privatização da empresa e fugir às responsabilidades no processo de destabilização da companhia aérea. O PCP no distrito de Lisboa salienta ainda a coragem e determinação dos trabalhadores das grandes superfícies demonstrada com a marcação da greve de 1 de Maio emdefesa dos salários e horários e repudia a provocação montada pela Sonae (Continente) e a Jerónimo Martins (Pingo Doce) anunciando, mais uma vez, campanhas de descontos suportadas pelos crescentes sacrifícios dos trabalhadores.

3. A situação em que vive a população do distrito de Lisboa é consequência da política decorrente dos PEC e do Pacto de Agressão sendo claro que o futuro da região e do país não passa pela mesma receita e pelos mesmos responsáveis. Os chamados programas Nacionais de Reformas e de Estabilidade aprovados pelo Governo e o plano para a década apresentado pelo PS denunciam de forma evidente a sintonia e empenho destas forças na perpetuação da política de afundamento do país e benefício dos grandes grupos económicos que já expressaram o seu aplauso.

4. A Marcha Nacional – A força do Povo, que se realizará a 6 de Junho na Avenida da Liberdade, será um importante momento e espaço de expressão das reivindicações e aspirações dos trabalhadores e das populações e uma inequívoca afirmação de que há força no povo suficiente para derrotar a política de direita e construir uma política patriótica e de esquerda para o país. A Marcha Nacional, não esgotará a sua importância na luta eleitoral, mas será uma importante afirmação da força e proposta da CDU e uma importante alavanca para a campanha eleitoral.

5. A realização da Festa do Avante! a 4, 5 e 6 de Setembro convoca desde já todos os esforços da organização do Partido na sua divulgação e na venda da EP.

6. A DORL do PCP destaca o importante papel militante do colectivo partidário, a sua entrega e dedicação na concretização das muitas e exigentes tarefas que o PCP tem pela frente e transmite aos trabalhadores e ao povo, à juventude, aos democratas e patriotas um forte estímulo a que prossigam com todas as energias a sua acção por um distrito e um país melhor.

Lisboa, 30 de Abril de 2015 A Direcção da Organização Regional de Lisboa do PCP

PARTILHAR