Sobre a demolição do Cine Nazaré e Barracão do Sal

A CDU está contra a demolição do Ciné Nazaré e levou à Assembleia de Freguesia uma declaração política sobre esta intensão da Câmara Municipal de destruir património na freguesia.

  

Demolição do Cine Nazaré e Barracão do Sal na Póvoa de Santa Iria

Depois de a Câmara Municipal, durante anos, ter gasto mais de 250 000,00€ do dinheiro dos contribuintes para a aquisição, processo de expropriação, advogados e tribunais;

Depois de, por diversas vezes, a Sra. Presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira ter publicamente afirmado ser este espaço um imóvel de interesse para o Município;

Depois de vários quadrantes desta cidade – de ordem política, cívica e cultural – terem adiantado propostas passíveis de concretização para a reabilitação deste imóvel;

Sabendo-se que a denominada Póvoa Antiga necessita urgentemente de um tónico forte que avance para a reabilitação de todo o aglomerado urbano;

Sabendo-se das carências que afectam a cidade da Póvoa, principalmente a nível cultural e de apoio à juventude;

Depois de tudo, a ignorância e o desprezo pela memória colectiva e pela identidade da freguesia da Póvoa de Santa Iria culminam num verdadeiro atentado à cidade e à sua dotação em equipamentos públicos.

Depois de tantos anos em que a palavra de ordem era “recuperar”, a maioria PS na Câmara Municipal decidiu simplesmente arrasar o Cine Nazaré e o Barracão do Sal, a troco de nada, ou de quase nada, porque um espaço com meia dúzia de lugares de estacionamento não resolve os problemas dos moradores desta zona e alguns bancos e árvores num terreiro para ver passar os comboios a que querem chamar praça não são nada se comparados com a potencialidade emergente deste local.

De origem etimológica, “património” significa “herança paterna”, estando intimamente ligado aos sentimentos que relacionam cada comunidade com a sua terra e com tudo o que a constitui.

Parafraseando o Professor Álvaro Duarte de Almeida, património “implica um certo tipo de herança e de posse, com os correspondentes direitos e deveres, nomeadamente o direito à fruição e o dever de protecção”. O património de um povo não se limita ao edificado. Estende-se às tradições, costumes e memórias.

O Cine Nazaré e o Barracão do Sal carregam em si um valor histórico e cultural da memória de um povo, dos povoenses. O simples derrube destas estruturas, substituindo as mesmas por uma praça desumanizada, além de desabrigada do sol e do vento, significa a não preservação da memória colectiva e é um acto de incomensurável insensatez.

Por outro lado, o argumento da proximidade da linha de comboio como factor de objecção a qualquer outro destino para estes imóveis revela-se falacioso.

Hoje em dia, os modernos processos de insonorização dos edifícios, aliados à moderna tecnologia empregada na infra-estrutura ferroviária e no material circulante, rebatem qualquer argumento nesta área.

E há disso exemplos, como é o caso do Centro de Congressos de Aveiro nascido da recuperação de uma antiga fábrica de cerâmica cuja localização e condições, em tudo, são idênticas à dos imóveis em questão.

Também não é aceitável uma certa argumentação sobre o estado de conservação dos imóveis. Apesar da idade, a saúde das estruturas faz corar de vergonha muitos edifícios construídos décadas depois por todos os empreiteiros e promotores do betão que tantos favores fazem e recebem da autarquia. Edifícios há, na Póvoa de Santa Iria, que, sendo bem mais novos, apresentam deficiências estruturais bem mais graves.

O que vão fazer a Câmara Municipal e o PS? Derrubá-los também?
Perde-se, assim, a oportunidade de se dotar o núcleo antigo da cidade de elementos de revitalização, assim como se recusa a oportunidade de contribuir para uma requalificação harmoniosa da zona e edificado envolvente.

São muitos os desrespeitos com que a Câmara Municipal do PS afronta a população!
São muitas as oportunidades perdidas!

A CDU considera que a vivência cultural, além de um direito é uma condição de desenvolvimento, pelo que não pode ser ignorada por quem tem o dever de a potenciar e apoiar. Então, se o património é pertença e memória de um povo, é também parte integrante da cultura, pelo que deve ser preservado e não ignorado.

O grupo CDU na Assembleia de Freguesia de Póvoa de Santa Iria acusa a maioria PS na Câmara Municipal e a Junta (PS) da Freguesia da Póvoa de, deliberadamente, terem incutido em todo o processo gerado em torno deste espaço expectativas de recuperação do mesmo que agora enterram.

Anos e anos de mentira. De falsas intenções. Acusa igualmente a maioria PS na Câmara Municipal e a Junta (PS) da Freguesia da Póvoa de estarem a praticar uma gestão danosa para o concelho e para esta freguesia, delapidando o seu património e as finanças públicas sem qualquer contrapartida para a população e para esta cidade, numa prática de gestão não participada e autoritária, ignorando tudo e todos.

Póvoa de Santa Iria, 27 de Junho de 2008
O Grupo CDU na Assembleia de Freguesia de Póvoa de Santa Iria

PARTILHAR