PCP de Sintra entrega mais de 2.000 assinaturas contra a precariedade

Uma delegação da comissão concelhia de Sintra do PCP, constituída por
Brás Neves, António Figueiredo, Mário condessa, Lino Paulo e Rui
Monteiro, procedeu ontem à entrega de mais de 2.000 assinaturas,
recolhidas em empresas do Concelho, exigindo ao governo um mudança
radical nas política de emprego que tem levado a cabo. A entrega foi
efectuada no Ministério do Trabalho.

Comissão Concelhia de Sintra do PCP entrega mais de 2.000 assinaturas contra a precariedade

Uma delegação da comissão concelhia de Sintra do PCP, constituída por Brás Neves, António Figueiredo, Mário condessa, Lino Paulo e Rui Monteiro, procedeu ontem à entrega de mais de 2.000 assinaturas, recolhidas em empresas do Concelho, exigindo ao governo um mudança radical nas política de emprego que tem levado a cabo. A entrega foi efectuada no Ministério do Trabalho.

O texto do abaixo assinado refere que:

– Actualmente mais 860 mil trabalhadores têm contratos a prazo, 22,6% do total dos contratos
– Mais de um milhão de trabalhadores está em situação precária, dos quais 260 mil só no Distrito de Lisboa.
– Um em cada quatro trabalhadores tem vinculo precário
– Postos de trabalho permanente são ocupados por trabalhadores contratados a prazo, a recibos verdes, em trabalho temporário ou com bolsas de formação e investigação, processo de precariedade infernal que atinge particularmente os jovens
– Mais de metade dos jovens com menos de 25 anos está em situação precária
– Esta é também a negra realidade no Concelho

e propõe ao governo:

– Aumentar os salários acima dos valores da inflação, por forma a repor o poder de compra perdido nos últimos anos de políticas de direita
– Passagem à efectividade de todos os trabalhadores que exerçam funções permanentes nas empresas
– Controlo e fiscalização das situações de Trabalho Temporário
– Revogação da norma legal relativa à contratação a prazo dos trabalhadores à procura do 1 emprego e dos desempregados de longa duração
– Regularização da situação dos trabalhadores com falsos contratos de prestação de serviços, convertendo-os em vínculos efectivos

Foram estas as exigências que mais de 2.000 trabalhadores do concelho de Sintra, subscreveram esperando do governo uma real mudança de políticas.

Sintra, 20 de Junho de 2008

PARTILHAR