A supressão de comboios na Linha de Cascais é consequência do desinvestimento na linha. Não será por artes de magia ou manobras eleitoralistas que a situação se resolve…

Desde há muito que há a intenção do Governo em privatizar a Linha de Cascais. É essa intenção que explica o abandono de investimentos e a falta de manutenção da Linha, com a consequente degradação do material circulante e da própria via. A CDU tem vindo a denunciar tal situação que se agravou no início de 2013, com o descarrilamento de duas composições, em Caxias e em Algés. A CDU, por iniciativa própria ou solidarizando-se com a Comissão de Utentes, tem vindo a distribuir documentos a informar e alertar as populações, a realizar tribunas públicas de esclarecimento dos utentes e os seus eleitos têm vindo a colocar nas Assembleias Municipal e das Freguesias o problema. A agora anunciada supressão de comboios foi denunciada em tribuna pública realizada em Algés. Em sessão da Assembleia Municipal de 12 de Janeiro a CDU denunciou o problema. Certa imprensa vem agora dar notícia que a CP recua por pressão do Presidente da Câmara de Cascais. A CDU vem alertar para não ser verdade nem uma coisa, nem outra. Nem a CP recua, nem a reposição de alguns comboios se deve a diligências ou pressões do vice-presidente do PSD. A verdadeira razão é que se teme a luta dos utentes num período pré-eleitoral. Estamos perante uma encenação que não nos demove da continuação desta luta contra o objetivo principal: a privatização da Linha de Cascais.

PARTILHAR