passes-vimeca

«A luta contra o fim dos passes sociais na Vimeca é para continuar!»

passes-vimeca«Se pensam que com esta manobra desmobilizamos de lutar contra o fim dos “passes sociais”, tirem o “cavalinho da chuva”.»

«Isto é a Vimeca a tomar o pulso… Se conseguir acabar com os “passes sociais”, logo a seguir a Rodoviária do Tejo, a Barraqueiro e a Transportes Sul do Tejo farão o mesmo… Agora dizem que não, mas quem garante que não o farão? Quem acredita nisso?»

  Estas foram algumas das muitas expressões usadas pelos elementos que integraram as delegações representantes das Comissões de Utentes de Transportes dos concelhos da Amadora e Oeiras que ontem aguardavam ser recebidas pelos responsáveis da Vimeca, a fim de entregarem os abaixo-assinados com cerca de 3000 assinaturas de utentes, rejeitando aquela medida.

  A Vimeca, não só não recebeu as delegações, como não quis aceitar aqueles documentos, como ainda chamou a PSP para dispersar o grupo que ordeiramente, e contendo a indignação, acabaram por abandonar o local.

  «Esta manobra de adiar para julho o fim dos passes sociais nem corresponde a um recuo relevante da Vimeca. É mais uma forma de contornar o movimento de protesto e luta. É uma manobra. Mas se pensam que, por ter adiado para julho, a “luta vai a banhos”, é melhor tirarem daí o sentido. As Comissões de Utentes vão continuar a lutar, melhorar a coordenação entre si, envolver os utentes dos outros concelhos (Sintra, Cascais e Odivelas), articular-se com a FECTRANS e, naturalmente, fazer pressão sobre as Câmaras Municipais dos municípios abrangidos pela rede.»

  Os elementos presentes fizeram lembrar: «O passe intermodal da Vimeca permite-nos o acesso a diferentes operadoras de transporte público na zona de Lisboa, como o Metro, a Carris e a CP – Comboios de Portugal, com valores mais reduzidos quando comparados com a aquisição individual de cada um dos títulos de transporte. Obrigar-nos à múltipla aquisição de passes é um autêntico crime, é uma violência que não podemos aceitar… Reforçaremos a luta. Tem de ser… e as populações, que tão bem aderiram ao abaixo-assinado, irão progressivamente endurecer a resistência e o protesto.»

  Quanto aos abaixo assinados, eles serão entregues: à Vimeca, por correio registado com aviso de recepção; às respectivas câmaras municipais e à Secretaria de Estado de Transportes, por mão própria, nos próximos dias.

PARTILHAR