«CDU afirma-se como alternativa no Concelho de Odivelas!»

Mais de centena e meia de activistas da CDU estiveram presentes no
Encontro Concelhio que se realizou no passado Sábado, na Sala Azul do
Parque Urbano do Silvado, em Odivelas. Nas mais de duas dezenas de intervenções proferidas no Encontro, foi
comum a ideia de ser a CDU a única força politica capaz e credível de
ser alternativa à gestão PS/PSD. O intenso trabalho realizado, ao longo
deste mandato em todas as áreas de intervenção municipal, um
conhecimento profundo da realidade, o contacto regular com as
populações, ouvindo os seus problemas e justas aspirações, conferem à
CDU a capacidade de produzir e ter as soluções que as sete freguesias
do Concelho de Odivelas precisam e as populações merecem.

Encontro Concelhio em Odivelas concluiu:

«CDU afirma-se como alternativa no Concelho de Odivelas!»

Mais de centena e meia de activistas da CDU estiveram presentes no Encontro Concelhio que se realizou no passado Sábado, na Sala Azul do Parque Urbano do Silvado, em Odivelas.

Nas mais de duas dezenas de intervenções proferidas no Encontro, foi comum a ideia de ser a CDU a única força politica capaz e credível de ser alternativa à gestão PS/PSD. O intenso trabalho realizado, ao longo deste mandato em todas as áreas de intervenção municipal, um conhecimento profundo da realidade, o contacto regular com as populações, ouvindo os seus problemas e justas aspirações, conferem à CDU a capacidade de produzir e ter as soluções que as sete freguesias do Concelho de Odivelas precisam e as populações merecem.

Temos Soluções! Somos a alternativa!

Ilídio Ferreira, Vereador da CDU na Câmara Municipal de Odivelas, abriu este Encontro Concelhio caracterizando o que tem sido a actividade da CDU ao longo deste mandato, realçando a forma positiva como se tem feito oposição, «nunca enveredando pelo levantamento de falsos problemas, nem praticando chicana política», «o que é correcto votamos sim, o que é errado votamos não. Não há cedências», afirmou.

A necessidade de um novo PDM e a denúncia dos facilitismos urbanísticos, que fazem de Odivelas uma terra de prosperidade para construtores e promotores imobiliários, esteve igualmente presente no discurso de Ilídio Ferreira.

Se considerarmos a carga tributária, as graves deficiências na saúde, a deficiente acção social que afecta de forma directa, as famílias, as crianças e os idosos, podemos considerar que Odivelas é tudo menos a tal “Terra de Oportunidades”. Podemos concluir que o PS “trata mal” as famílias de Odivelas.

O encontro caracterizou a gestão dos recursos humanos praticados pelo PS com a silenciosa cumplicidade do PSD: «neste município o código do trabalho entrou em vigor antes de ser publicado»:

proibição do pagamento de horas extraordinárias, embora na prática os trabalhadores as realizem, estrangulamento das carreiras, opções minimalistas de higiene e segurança no trabalho, atitudes coercivas de condução à pré-reforma, escandaloso subaproveitamento dos recursos internos, com a passagem de serviços para a esfera dos privados, são apenas alguns dos exemplos apontados e que tiveram eco em intervenções vindas de activistas da CDU.

Apanha-se mais depressa um mentiroso…

Um dado novo relativo à tão apregoada recuperação financeira surgiu no debate. Este executivo PS/PSD afinal mente. É verdade que em 3 anos houve uma diminuição da dívida à banca de 3.3 milhões de euros, mas o que o PS tem andado a esconder é que nos mesmos 3 anos houve um aumento da divida a fornecedores, praticamente do mesmo valor. Tapou dum lado para destapar do outro. Susana Amador aprendeu pela cartilha de Sócrates: para os poderosos é só facilidades, mas
para quem trabalha, para as pequenas e médias empresas, o PS só tem para oferecer mais sacrifícios e dificuldades.

O PS põe Odivelas a andar para trás…

Nas políticas sociais, no desporto, na educação, na cultura, nas políticas de saúde, no apoio ao movimento associativo e nas políticas de juventude, o concelho de Odivelas tem registado um clamoroso retrocesso.

No apoio à infância são mais de 5.000 as crianças sem acesso à rede pública ou social de creches e pré-escolar. Há 10 anos a governar Odivelas, o PS deixou degradar o acesso à rede de apoio. É a própria Presidente de Câmara que afirma que a resposta nesta área deixa de fora mais de 70% das crianças do Concelho e o mesmo acontece com os idosos, onde a rede de Centros de Dia e apoio domiciliário é francamente insuficiente. O recente Encontro realizado com as IPSS do Concelho, promovido pela CDU, desmente o retrato cor-de-rosa que o PS propagandeia.

No movimento associativo, ao invés do reconhecimento do seu valor, da sua importância e diversidade, o PS decidiu tratar tudo com a mesma bitola, a da visão economicista de relacionamento com as colectividades, ignorando tantas e tantas propostas feitas pela CDU e pelos dirigentes associativos, tratando de forma igual o que é visivelmente diferente, ao produzir e aprovar um dos piores programas de apoio ao movimento associativo de que há memória em Odivelas. O PS chega a referir-se às colectividades como “Clubes da Bejeca”. Que falta de respeito!

Na educação, o Governo encerra escolas, retira autonomia de gestão aos professores, permite a entrada de privados na esfera da actividade educativa e, numa clara desresponsabilização, tenta passar para as autarquias responsabilidades numa área onde claramente falhou. A curto prazo, o protocolo que prontamente o PS, em Odivelas, assinou com o governo, irá transformar-se num pesadelo para professores e auxiliares de educação.

Com o PS em Odivelas, a cultura tem conhecido os maiores cortes financeiros no orçamento municipal.

A opção foi criar uma empresa municipal de largo espectro, nas competências e no dinheiro que arrecada do município, só no orçamento de 2008, foram mais de 1.000.000€ que saíram dos cofres da autarquia para a Municipália, postos à disposição duma política cultural elitista e centralista.

Em matéria de equipamentos e cuidados de saúde, há muitos anos que não se vê um único investimento em todo o Concelho, faltam médicos, enfermeiros, pessoal auxiliar, meios de diagnóstico, instalações decentes e do Governo e da Câmara Municipal não se vê um único propósito de mudança ou investimento. Mais uma vez no Orçamento apresentado na Assembleia da República o PS não propõe um único cêntimo de investimento para Odivelas.

Juntas de Freguesia CDU, um exemplo a promover!

A CDU assegura a gestão de duas das sete freguesias do concelho, Caneças e Ramada. Pese embora os cortes orçamentais feitos pela Câmara e a sua tentativa de diminuir as responsabilidades delegadas, os eleitos da CDU têm mantido o seu compromisso com as populações, tendo-se afirmado neste Encontro que, até final do mandato, todas as promessas eleitorais estarão cumpridas.

No conjunto das restantes freguesias, os eleitos da CDU manterão o seu compromisso com as populações, desenvolvendo de forma responsável o seu estatuto de oposição.

Só a vitória da CDU interessa a Odivelas!

A Deolinda Santos, do Secretariado da Comissão Concelhia de Odivelas do PCP, coube a intervenção de balanço dos resultados deste Encontro, afirmando que «aquilo a que aqui hoje assistimos é resultado do intenso trabalho que há já alguns meses os activistas da CDU vêm desenvolvendo, integrados nos vários grupos de trabalho de reflexão e análise e no contacto regular com as populações». É através do trabalho continuado, ouvindo as pessoas, o que sentem, o que pensam e o que necessitam que se produz aquelas que hão-de ser as propostas da CDU para os próximos actos eleitorais.

«Aquilo a que assistimos aqui hoje é sem dúvida a prova de que a CDU é a única alternativa da mudança que Odivelas urgentemente precisa, estamos na rua, falamos com as pessoas, estamos ligados à vida e a realidade das freguesias, sabemos o que faz falta a Odivelas, conhecemos a realidade, somos de facto a alternativa que o Concelho e as suas freguesias precisam». Deolinda Santos concluiria afirmando, «Este Encontro veio confirmar ser possível a vitória da CDU em Odivelas».

A última intervenção coube a Armindo Miranda, da Comissão Politica do Comité Central do PCP, que trouxe ao Encontro a análise da situação política nacional e internacional.

PARTILHAR