É preciso impedir o despejo da Creche do Alto de Santo Amaro


No Alto de Santo Amaro, Rua Jau, 42, funciona, desde o 25 de Abril, numa antiga vivenda uma creche. Dadas as condições locais deste equipamento, é reconhecida a existência de circunstâncias propiciadoras de uma Educação com qualidade. No entanto, as instalações referidas estão em risco de poderem continuar a ser utilizadas para este fim, devido à pretensão da entidade proprietária de ali construir um edifício em altura para habitação. A CDU exige que a Câmara garanta a defesa da creche e das populações.

Creche do Alto de Santo Amaro em risco
Possível despejo prejudicará população e qualidade da Educação

No Alto de Santo Amaro, Rua Jau, 42, funciona, desde o 25 de Abril, numa antiga vivenda uma creche. Dadas as condições locais deste equipamento, é reconhecida a existência de circunstâncias propiciadoras de uma Educação com qualidade.

No entanto, as instalações referidas estão em risco de poderem continuar a ser utilizadas para este fim, devido à pretensão da entidade proprietária de ali construir um edifício em altura para habitação.

No entanto, nenhuma demolição/construção deve avançar sem que esteja resolvido o problema da creche na zona.

Nestes termos, exige-se uma alternativa que garanta continuidade do serviço prestado pela Creche de Santo Amaro. A própria instituição aparentemente já expressou a sua vontade de ocupar uma Escola próxima. Devem ser exploradas todas as alternativas que sirvam as crianças, famílias e trabalhadores da creche.

No mesmo sentido, na Assembleia de Freguesia de Alcântara, os eleitos da CDU já levantaram esta questão e pediram informação no início de Novembro, no sentido de se tomarem medidas em defesa da Instituição, das crianças, das respectivas famílias e dos interesses da Freguesia de Alcântara.  

A CDU defende que a Autarquia, enquanto entidade com competências na área social, deve nestas circunstâncias desempenhar um papel de apoio à instituição gestora da creche, no sentido de se encontrar uma alternativa com dignidade e qualidade que permita a continuidade do serviço prestado.

PARTILHAR