saude

Pela recuperação da actividade nos cuidados de saúde primários

 

saudeOs utentes e as populações enfrentam atualmente inúmeras dificuldades no acesso aos cuidados de saúde primários, designadamente dificuldade no contacto telefónico com o centro de saúde, devido à falta de assistentes técnicos para assegurar este serviço; impossibilidade de marcação de consultas com o seu médico de família; horas intermináveis de espera do atendimento à porta do centro de saúde; consultas ao postigo, à janela ou por telefone.

 

Os cuidados de saúde primários são fundamentais no acompanhamento dos doentes crónicos, no rastreio e no diagnóstico precoce.

 

É, pois, necessário que o Governo adote um plano de recuperação da atividade dos cuidados de saúde primários e reforce o investimento a este nível.

 

Por proposta dos Vereadores do PCP a CML deliberou instar o Governo:

 

 – À reabertura de todas as extensões e centros de saúde;

 – À contratação de profissionais de saúde, nomeadamente de médicos e enfermeiros de família, psicólogos, assistentes técnicos e assistentes operacionais;

 – À dotação de mais profissionais de saúde para reforçar as diversas unidades funcionais dos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES), em particular as Unidades de Recursos Assistenciais Partilhados, as Unidades de Cuidados na Comunidade;

 – À promoção e valorização das especialidades médicas de medicina geral e familiar e de saúde pública junto dos estudantes de medicina;

 – À modernização das redes de comunicações das extensões e centros de saúde, em particular das comunicações telefónicas e eletrónicas;

 – À criação de um regime excecional de incentivos à recuperação da atividade assistencial nos cuidados de saúde primários;

 – Ao alargamento do horário de funcionamento das unidades dos cuidados de saúde primários;

 – À articulação com as unidades hospitalares para a realização de exames complementares de diagnóstico e terapêutica prescritos pelo médico de família;

 – À aquisição do material clínico necessário para a adequada prestação de cuidados de saúde aos utentes.

 

É agora necessário que o Governo PS aja em coerência com aquilo que os vereadores do PS votaram em reunião de CML e, nomeadamente em sede de Orçamento de Estado 2021, inscreva as verbas necessárias para o reforço do SNS. 

 

Consulte aqui a moção aprovada

PARTILHAR